Cravo, espinha, acne… quem nunca teve um desses incômodos na pele?

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a acne é o nome dado a espinhas e cravos que surgem devido a um processo inflamatório das glândulas sebáceas e dos folículos pilossebáceos.

As acnes são comuns na fase da adolescência, mas não deixam de aparecer em adultos, principalmente em mulheres.

Na adolescência o aparecimento de acne pode atingir o lado psicológico e tornar o adolescente inseguro, tímido, deprimido, infeliz e com a autoestima baixa, além do incômodo das lesões.

Quais os principais sintomas da acne?

Os hormônios sexuais que são produzidos na puberdade são os principais responsáveis pelas alterações das características da pele, assim como pelo surgimento da acne.

Esses hormônios, chamados andrógenos e estrógenos são produzidos tanto pelos ovários (mulheres) e testículos (homem) quanto pelas glândulas suprarrenais em ambos os sexos.

Os andrógenos são os responsáveis pelo funcionamento das glândulas chamadas glândulas sebáceas que são mais ativas na face, peito, costas e couro cabeludo. Essas glândulas estão presentes desde o nascimento, mas são mais ativas na puberdade, época em que, pessoas com mais predisposição genética, desencadeia mudanças relacionadas ao conteúdo de gordura da pele e do couro cabeludo.

Assim, os principais sintomas são:

  • Cravos
  • Pápulas (lesões sólidas arredondadas, endurecidas e eritematosas)
  • Pústulas (lesões com pus)
  • Nódulos (lesões caracterizadas pela inflamação, que se expandem por camadas mais profundas da pele e podem levar à destruição de tecidos, causando cicatrizes)
  • Cistos (maiores que as pústulas, inflamados, expandem-se por camadas mais profundas da pele, podem ser muito dolorosos e deixar cicatrizes)

Esses sintomas podem piorar ou agravar em situações de estresse ou no período menstrual.

Importante! A acne não é contagiosa e não se relaciona à sujeira da pele ou do sangue.

Tratamento para a acne

A acne deve ser tratada o mais precocemente possível. É errada a ideia de que a acne não deve ser tratada ou que é coisa da idade, desaparece com o tempo e até mesmo, que não é uma doença.

Seu cuidado é recomendado não só por questões estéticas, mas também para preservar a saúde da pele e psicológica, pois previnem também cicatrizes difíceis de corrigir na idade adulta. Por isso, a melhor forma de evitar é começar o tratamento correto o mais cedo possível.

Portanto, a acne tem tratamento e pode ser curada e controlada, porém, isso pode levar bastante tempo.

Vale ressaltar que: quem tem acne não deve em hipótese alguma, cutucar, espremer as lesões, pois isso pode levar à infecção, inflamação e cicatrizes.

O tratamento vai variar com a gravidade e a localização, e em função de características individuais.

É preciso verificar se há lesões não inflamatórias, os famosos cravinhos, ou inflamatórias, as espinhas.

Em formas leves, o tratamento pode ser apenas local, com inúmeros produtos existentes no mercado que devem ser receitados pelo dermatologista. Quando o quadro não evolui bem, o tratamento por via oral é associado, utilizando-se de antibióticos específicos, sempre associados ao tratamento local com retinoides, peróxido de benzoíla ou ácido azeláico.

O tratamento com antibiótico oral deve ser feito por no máximo três meses, em um ou até três ciclos. O uso de anticoncepcionais orais é sempre útil para as mulheres, desde que não existam contraindicações.

Quando não há uma boa resposta aos tratamentos e se percebe uma tendência para cicatrizes ou um importante impacto negativo na qualidade de vida, deve ser indicada o mais rápido possível, e desde que não existam contraindicações, a isotretinoína oral, mesmo em casos moderados. Porém, este medicamento é absolutamente contraindicado quando há possibilidade de gravidez, pois pode causar danos graves ao feto.

Os efeitos colaterais mais comuns do uso da isotretinoína são:

  • Ressecamento dos lábios, nariz, olhos, pele do corpo;
  • Aumento do colesterol, triglicerídeos e enzimas hepáticas.

Portanto, são necessários exames de sangue antes e durante o tratamento.

Outros procedimentos que ajudam no controle da acne são:

  • Extração de cravos,
  • Drenagem de abscessos,
  • Limpeza de pele,
  • Infiltração com corticóides em lesões nodulares muito inflamadas ou em cicatrizes elevadas,
  • Peelings químicos,
  • Microdermabrasão,
  • Alguns tipos de laser e esfoliação química.

Mas atenção!

A limpeza de pele, quando bem indicada pelo dermatologista e executada por esteticista treinado, pode ser um ótimo complemento do tratamento de algumas formas de acne. Mas, uma limpeza de pele feita por leigos nunca pode ser considerada uma forma de tratamento, é preciso muito cuidado ao verificar as procedências do profissional.

Há prevenção contra acne?

Uma boa higiene da pele com um sabonete ou produto de limpeza indicado especialmente para pele acneica ou oleosa é o primeiro passo para prevenção.

Mas, como sabemos, tudo em exagero não faz bem. A limpeza excessiva pode ser prejudicial à pele como um todo, podendo causar irritações e piorar as lesões. Também é importante evitar cosméticos que aumentam a oleosidade.

A acne tem forte componente genético e não está diretamente relacionada com a alimentação.

Apesar de alguns tabus, não é necessária nenhuma restrição alimentar muito rígida para seu tratamento ou prevenção.

Mais um ponto de atenção:

As pessoas com acne devem se expor ao sol com cuidado, nada de exageros e sempre de maneira racional e orientada.

Mitos e verdade sobre a Acne:

  • A acne tem cura? MITO.
    A acne não tem cura. Ela pode ser reduzida, controlada e também prevenir seu desenvolvimento, utilizando produtos de qualidade, com ativos eficazes e seguindo uma dieta equilibrada.
  • O chocolate provoca acne? Em partes, sim!
    Por ser um alimento com um alto índice glicêmico, o chocolate estimula a produção de sebo pelas glândulas sebáceas, aumentando a oleosidade da pele, o que pode piorar o quadro de espinhas e acne. Dê preferência aos chocolates amargos e meio amargos.
  • Espremer as espinhas ajuda a eliminar a inflamação? MITO.
    Espremer é prejudicial para a pele, pois promove a disseminação da inflamação e pode provocar cicatrizes e lesões. Além disso, ao espremer uma espinha com a pele suja, as bactérias das unhas podem entrar na lesão, deixando o local mais dolorido e inchado.
  • No clima quente aparecem mais espinhas? VERDADE.
    Quanto mais quente o clima, mais oleosa a pele fica e, consequentemente, o quadro de acne e espinhas aumenta. Por isso a importância de manter a pele sempre limpa, hidratada e protegida, com um protetor solar oil-free e específico para a pele acneica.
  • Usar pasta de dente diminui a acne? MITO.
    A pasta de dente não possui substâncias eficazes no tratamento da acne e, a longo prazo, pode piorar o quadro. Além de contaminar o local, o uso da pasta de dente dificulta a eliminação da secreção sebácea, obstruindo o local e deixando-o mais irritado e com vermelhidão.
  • Anticoncepcional piora a acne? EM PARTES.
    Alguns anticoncepcionais podem sim levar a alterações hormonais e aparecimento da acne, mas alguns são capazes de melhorar o quadro.
  • Cicatrizes de acne não têm cura? MITO.
    Existem recursos para tratá-las. Esses procedimentos devem ser realizados por um médico dermatologista experiente e, algumas vezes, são necessárias várias etapas de tratamento para um resultado satisfatório.
  • O período de menstruação causa acne? VERDADE.
    Pela influência dos hormônios, pode haver piora da acne nos dias anteriores à menstruação. Nesse período, a produção de hormônios aumenta, fazendo com que as glândulas sebáceas também aumentem e, consequentemente, a pele fica mais oleosa.

Tirou suas dúvidas sobre acne?  Está em busca de um dermatologista? Confira nossos profissionais parceiros em nosso Salus App ou Site. Acesse e agende sua consulta por preço mais acessível!

Quer saber mais sobre os cuidados com a pele? Clique acima e confira em nosso artigo.

Sem comentários.